11.3.11

o dia da rosa



Bread and Roses too
Melhores salários e condições mais dignas de trabalho e de vida (redução da jornada diária e protecção na maternidade). Era o que exigiam estas mulheres, operárias têxteis na manifestação de 8 de Março de 1857, em Nova Iorque, que juntou mais de 15.000 mulheres.
Anos mais tarde na Lawrence Strike, que durou entre Janeiro e Março de 1912, em Massachussetts e que envolveu cerca de 20.000 trabalhadores, na sua maioria mulheres imigrantes.


O primeiro Dia Internacional da Mulher foi celebrado em 28 de Fevereiro de 1909 nos Estados Unidos, por iniciativa do Partido Socialista da América, em memória da greve das operárias da indústria do vestuário de Nova York em protesto contra as más condições de trabalho.

Em 1910, ocorreu a primeira conferência internacional de mulheres, em Copenhaga, dirigida pela Internacional Socialista, quando foi aprovada proposta da socialista alemã Clara Zetkin, de instituição de um dia internacional da Mulher, embora nenhuma data tivesse sido especificada.
Há 100 anos, surgiu como jornada de sensibilização e reflexão, de pressão e luta.
Rapidamente evoluiu do plano estritamente laboral para o da igualdade e dignidade da mulher em todos os aspectos da vida.

E é assim que deve ser e se deve manter.
Não na versão delicodoce e quase sãovalentinizada do “feliz dia da mulher!”, ainda que bem-intencionada…

fonte: é tudo gente morta

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by email