1.3.11

clonagem




Parece que estamos cada vez mais próximos da clonagem de animais como fonte para órgãos e tecidos para uso em medicina regenerativa. Recentemente, pesquisadores da Universidade de Meiji, no Japão, conseguiram produzir a quarta geração de porcos clonados. Ou seja: produziram, a partir de células das respectivas glândulas salivares, porquinhos que são clones de clones de clones. E os bichinhos têm uma cara bem simpática, como mostra a foto ao lado.

Segundo os especialistas, os japoneses da Meiji conseguiram um feito e tanto: ao contrário do que ocorria até agora com clonagens feitas a partir de clones de clones, tudo indica que, ao menos por enquanto, não há nenhum sinal de anormalidade nessa quarta geração de clonezinhos. Parece que o DNA do porco original continua 100% preservado, sem qualquer dano, nesses animaizinhos que nasceram há pouco. Tanto que os pesquisadores planejam produzir a quinta geração, a partir destes. Para ver se o DNA ainda se mantém.

O que é interessante, do ponto de vista de negócio, é que os órgãos internos de porcos são fisiologicamente tão similares aos humanos que muitos cientistas acreditam que a clonagem em massa desses animais pode vir a ser a solução para a falta crônica de certos órgãos humanos, para fins de transplante Ou seja: pode ser que daqui a alguns anos surja uma empresa produtora de órgãos para transplante em humanos, a partir da clonagem em massa de porquinhos.

Pessoas com espírito de porco, você já conhece várias. Em breve, um amigo ou parente seu pode ter também algum órgão interno extraído de um leitão clonado.

Post de Marcelo Cherto

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by email