20.2.11

A propriedade e o crime, por Ernst Jünger



[Ernst Junger, Um Encontro Perigoso, Difel (tradução Ana Maria Carvalho)]


“Que significado atribuir ao facto de um milionário se expôr aos maiores transtornos por causa de alguns centavos? Tinha de ser fatalmente a recordação dos tempos em que, muito antes de existirem estados, a propriedade era essencialmente uma presa, sobretudo uma presa de caça. Agora, porém, era o Estado por excelência, porque dotado de poder ilimitado. Triunfar sobre ele, ainda que de forma insignificante, representava um ganho difícil de avaliar, mas inestimável. Partindo desta base, era possível desenvolver uma teoria do crime mais convincente do que qualquer outra de carácter social ou económica.” (80)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by email