30.4.11

Errar é uma oportunidade para aprender


Há certas lições que só o fracasso nos ensina

As pessoas de uma forma geral, tendem a atribuir valor apenas ao sucesso absoluto como primeiro objectivo. Há quem diga, inclusive, que o vice-campeão é o "primeiro perdedor". Contudo, algumas das maiores lições aprendidas por gente bem sucedida - lições que tiveram e têm alto impacto sobre a forma como essas pessoas fazem as coisas e que as levaram a ter sucesso - foram resultado de adversidades e fracassos que enfretaram em vários momentos das suas vidas.
Ninguém acerta todas.
Não há quem seja bem sucedido em tudo e o tempo todo.
Mas a maioria prefere ficar na moita e não falar dos seus insucessos. Talvez para não passar uma imagem de "fraqueza"... enfim!!!
Marcelo Cherto em "Sucesso é uma questão de atitude" resolveu escancarar um dos seus fracassos mais retumbantes: a criação da Editora Cherto...

Me dei muito mal. Mas aprendi muito com isso. Lições valiosíssimas, que me ajudaram a acertar em muitas outras iniciativas em que me envolvi depois - não há problema em errar... desde que você acerte mais do que erra, não assuma compromisso com o erro e tenha a atitude correta diante do erro, procurando extrair ao menos uma lição de cada falha cometida.


Cinco lições que só o fracasso pode dar

— "Nunca entre em um negócio sem conhecer a área". Mesmo que já tenha experiência anterior, é inevitável que você se depare com quatro tipo de coisas: as com as quais sabe lidar; as que você sabe que não sabe; as que você acha que sabe, mas não sabe; e, pior, aquelas você não sabe que não sabe lidar. Para evitar os danos de não saber onde pisa, se for entrar em um negócio diferente, tenha alguém extremamente confiável por perto.

— "Aprenda o máximo de coisas que puder e faça as perguntas certas". Não adianta apenas confiar no sócio ou na equipe contratada. É preciso estudar a fundo o negócio, todos os processos e possibilidades. As novidades boas ou ruins sempre vão aparecer e é importante estar preparado para isso.

— "Errar não tem problema". Desde que não erre por displicência ou por desonestidade, não faz mal errar. Na verdade, há ocasiões em que o erro precisa ser premiado, festejado. Sem ele, muito conhecimento pode ficar submerso e o negócio pode não amadurecer. Para inovar é preciso errar.

— "Não se pode ter certeza de que vai dar certo". Ninguém tem bola de cristal para saber o futuro. É possível conhecer tudo sobre a área, planejar bem os empreendimentos e ter segurança nos passos da empresa, mas nada pode garantir que terá sucesso.

— "Saiba a hora certa de desistir". Desistir antes da hora não vale a pena, mas é preciso ver a linha tênue entre persistência e estupidez. Se perceber que errou, volte atrás, tente de outra forma. Se continuar dando errado e as contas estiverem apertando cada vez mais, desista. Muitas vezes, parar um negócio requer mais coragem do que começar.

... e como diz o brazileiro, não adianta adicionar sorvete de creme a um pote de merda, não melhora (e nunca vai melhorar) o sabor da merda e ainda estraga o sorvete.

... quando a gente percebe que está num negócio errado, num relacionamento errado, numa sociedade errada ou num projeto errado, que nunca vai ter jeito, o melhor a fazer é parar de investir tempo, dinheiro, esperanças, energias e/ou o que for. Tratar de liquidar logo a conta, realizar o prejuízo e seguir em frente!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by email