1.4.11

Cultura(s) em Pratt


— “Cultura ou culturas”, singular ou plural, pois se a sua cultura é singular, é precisamente porque ela é plural (…) ao passo que a maior parte das pessoas só possuem um certo tipo de cultura – cultura universitária, de massas, esotérica, da sua classe social – a sua cultura é a síntese de todas as essas culturas que normalmente se excluem.

— É certo que abordei os tipos de cultura que referiu, e outros mais, como a cultura militar. Essa possibilidade de passar de uma cultura a outra parece-me mais frequente – e talvez mais fácil – nas pessoas que, como eu, são em parte autodidactas. O ideal parece-me consistir em ter professores que nos ensinem as bases, e depois fazermos nós próprios as pesquisas, em total independência relativamente às ideias dominantes nos meios oficiais. Na minha concepção, alguém que seja culto é necessariamente eclético: se apenas conhece o universo cultural a que pertence Kingsor ou aquele a que pertence King Kong, não é verdadeiramente culto.” [201]

Hugo Pratt, O Desejo de Ser Inútil. Memórias e Reflexões (Entrevistas com Dominique Petitfaux). Precedido de uma Abertura Irlandesa, Lisboa, Relógio d’Água, 1995

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by email