9.11.17

Auf Den Marmorklippen




Todos conheceis a intratável melancolia que se apodera de nós ao recordarmos tempos felizes. Estes, porém, pertencem irrevogavelmente ao passado,e deles nos separa a mais impiedosa das distâncias.
… … …
Parece-nos então que não tomámos ainda a medida plena da vida e do amor, mas não há arrependimento que traga de volta a oportunidade perdida. Pudesse este sentimento servir-nos de lição, em cada instante de felicidade!
E mais doce ainda é a recordação dos dias e das noites que nos couberam em sorte, quando um terror súbito lhes veio pôr cobro. Pois só então compreendemos como para nós, homens, representa um feliz acaso o ser-nos dado viver nas nossas pequenas comunidades, sob um telhado protector, entregues a aprazíveis conversas e afectuosamente saudados pela manhã e á noite. Ai!, demasiado tarde reconhecemos que já assim a cornucópia da fortuna nos presenteara.
… … …

Em meu entender, não são os sofrimentos desta vida, mas a sua alegria exuberante e a sua plenitude indomável que ao serem recordadas, nos fazem chegar as lágrimas aos olhos.

Ernst Jünger - Sobre as Falésias de Mármore “Auf Den Marmorklippen” 1939,
trad: Rafael Gomes Filipe, ed. Vega 1987


Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by email