21.12.12

il ritorno


Tilda Swinton, 1999
photo: Fabio Lovino

Regresso

ainda que o mundo acabe... ou que a pátria nos foda a todos

ainda que o mundo renacha... o verdadeiro animal de pêlo

recomecêmos, regresso

…bebo, fumo, falo…
como quem respira (dizem-me) e eu rio-me, caganda cena...
não tenho opiniões, nem nunca procurei formular juizos
e desde o inicio que procuro alguma coerência
a invisibilidade também se treina...
não gosto de herois
e a moralidade chateia-me, o senso comum e o catano….

Regresso
com o dia a dia
o que quer que seja,
com todas as afinidades (electivas) que me aparecem
ainda que às arrecuas...
...aqui estou ...vamos lá ver se consigo ser diario...

recomecemos, regresso, e agradeço a todos:
amigos, companheiros, palhaços... de vitórias, lutas e batalhas...
pelos amigáveis emails e pelos afectuosos comentários


que não nos falte nunca a poesia ou o poema


Abreijos
bjs e abçs e bem hajam
ou obrigados como hoje se diz


16.12.12

...







Não o Sonho
       
        Talvez sejas a breve
        recordação de um sonho
        de que alguém (talvez tu) acordou
        (não o sonho, mas a recordação dele),
        um sonho parado de que restam
        apenas imagens desfeitas, pressentimentos.
        Também eu não me lembro,
        também eu estou preso nos meus sentidos
        sem poder sair. Se pudesses ouvir,
        aqui dentro, o barulho que fazem os meus sentidos,
        animais acossados e perdidos
        tacteando! Os meus sentidos expulsaram-me de mim,
        desamarraram-me de mim e agora
        só me lembro pelo lado de fora.
       
        Manuel António Pina, "Atropelamento e Fuga"




12.12.12



Where is the future we tried to build?

     Why don’t I feel at home here?


Follow by email